terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Carta ao meu amor. (III)







Bom Dia, meu amor.

Essa vai ser a ultima carta pra ti, prometo. Hoje fazem 4 meses que terminamos. Quero dizer que comigo está tudo bem, e com você?
Hoje passei em frente aquela padaria em que iamos direto, eles ainda vendem aqueles pães de queijo deliciosos. Comprei 200g e agora estou comendo, acompanhado com café e leite, igual  você fazia. Essa semana eu vou pra praia com a nossa cachorrinha, a Lola. O pêlo dela está tão crescido! Preciso leva-lá ao pet shop, mas a saudade de ti não deixa. (Ah, quero avisa-lo que ela está com saudades!). Vou ficar naquela pousada em que sonhávamos ir, mas que o tempo não permitiu que fossemos juntos. A Lola ultimamente tem ocupado seu lugar na cama. Às vezes parece que ela chora de saudades de ti.

Daqui há algumas horas estarei dentro do carro, em rumo a minha viagem. Quero dizer que não volto, ficarei por lá mesmo. Essa casa me trás lembranças, saudades. Eu choro todas as noites, não consigo mais viver aqui, sem você. (Embaixo do tapete está a chave, aquela casa ainda é nossa. Quando quiseres voltar, não esquece de subir um pouco a maçaneta, ela está emperrada!)

Ontem eu finalmente arrumei suas coisas, estão todas guardadas. Camiseta com camiseta, calça com calça. Do jeito que você gostava. Do jeito que costumar ser… Tenho esperanças de que volte pra mim, um dia. Eu pretendo voltar pra casa, se voltares também. Se estiver me esperando com o cabelo bagunçado e de samba canção. “I miss you!”

Um beijo,
Flávia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário